Manifesto #12M São Paulo

Manifesto #12M São Paulo

Uma primavera explosiva incendeia os países árabes contra ditadores há dezenas de anos no poder. Numa invisível nuvem,  pensamentos se compartilham mundo afora. Pessoas de uma Europa em crise, que deixa milhares de desempregados e que corta salários e investimentos públicos, protestam e acampam nas ruas de várias cidades. Na China, protestos pró-democracia; nos Estados Unidos, centenas se manifestam contra a atual crise econômica; no Chile, protestos por maiores investimentos em educação. No mundo todo, apesar da repressão policial, pessoas se erguem na esperança de um futuro melhor para seus habitantes. Em comum, a vontade de mudar a lógica, que deixa cada vez mais peças sobrando na engrenagem e que aumenta cada vez mais o abismo entre Manhattan e a Etiópia.

Somos indignadxs e estamos conctadxs. Afundamos cada vez mais no abismo da desigualdade, da miséria, da gentrificação, da exploração do trabalho, da criminalização da pobreza, do aumento da militarização do Estado. Nossos políticos negam a possibilidade de melhorias para a sociedade, como educação, saúde e transporte público. Enquanto isso, rios de dinheiro são investidos em megaprojetos, como a construção de novos estádios para a Copa do Mundo e a criação da usina de Belo Monte. Além disso, a especulação imobiliária nos grandes centros leva à expulsão da população que lá vive, sem atender suas necessidades básicas e desfazendo seus laços enquanto comunidade.Toda organização popular que vá contra os interesses dos poderosos é reprimida violentamente. O Estado oprime nossa liberdade de expressão com balas de borracha, bombas de gás e prisões. Há exemplos claros e atuais disso, como a violenta “reintegração de posse” em Pinheirinho, a evacuação das ocupações de trabalhadores sem-teto no centro de São Paulo e a repressão brutal aos moradores de rua e aos dependentes químicos, tratados como caso de polícia e não de saúde pública. Ao mesmo tempo, a mídia corporativa no Brasil, nas mãos dos mesmos poderosos desde antes da ditadura, faz de tudo para naturalizar os abusos do Estado.

Indignados com isso, resolvemos agir, fugindo da lógica de dados viciados e cartas marcadas da política burocrática. Partindo dos princípios do apartidarismo, da não-violência e da decisão por consenso, estamos construindo uma política horizontal, ou seja, feita por todos e para todos. Em vez de aceitarmos líderes ou modelos prontos, procuramos construir coletivamente, considerando as opiniões e necessidades de todos os envolvidos. Em lugar da “democracia” do voto, o processo político horizontal garante às pessoas a real autonomia de decisão e construção política. Nessa nova lógica, buscamos participar diretamente das decisões, não permitindo que qualquer organização nos represente. Por isso, consideramos o apartidarismo um dos princípios de nosso movimento.Assim como não aceitamos que pessoas se sobreponham a outras por vias burocráticas ou estruturais, também não aceitamos qualquer tipo de violência entre elas, seja ela de gênero, de classe, de cor,  psicológica, física ou de grupo. Apenas respeitando as especificidades de cada um é que conseguiremos construir um processo realmente horizontal, pois este processo depende de pessoas dispostas a construí-lo coletivamente.

Nesse 12 de maio,  saiamos e tomemos as ruas, levantemos nossas barracas e ocupemos os espaços públicos para compartilhar vivências, experiências e práticas que ultrapassem a lógica do simples ir e vir na cidade. Vamos expressar nossa insatisfação para começar a construção de um processo colaborativo autônomo que enfraqueça cada vez mais as estruturas com as quais não concordamos. A revolução só se aprende na prática!
#12M – OCUPAR, COMPARTILHAR, CONSTRUIR!
Praça Charles Müller (Pacaembu)
de 12 a 15 de Maio

Traga sua barraca e desarme o sistema!

3 comments

  1. Guilherme disse:

    Parabens pela iniciativa!!!

    Abs Gabi!!!

    We are Revolution!!!!!!!

  2. gislene disse:

    A união faz a força, é preciso que todos os conscientes se unam para transformar ou melhor derrubar esse sistema criminoso, parabéns pela iniciativa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*